Monitoramento de grandes extensões

Possuímos experiência na área de sensoriamento remoto de linhas de transmissão, reservatórios hidrelétricos e parques eólicos, destacando:

  • Monitoramento das alterações no uso do solo a partir de análise temporal das imagens orbitais (ópticas e de radar) ;
  • Desenvolvimento, atualização e manutenção de banco de dados geográficos e análise de dados cartográficos;
  • Avaliação periódica da infraestrutura, das faixas de servidão de LT e das áreas de entorno desapropriada (DUP) de reservatórios hidrelétricos;
  • Acompanhamento dos estágios das obras;
  • Levantamento de informações sobre o limite de reservatórios com base no nível operativo normal e na cota máxima das usinas;
  • Validação de dados de campo para se ajustares às normas;
  • Espacialização, atualização e homologação das informações geográficas a serem disponibilizadas na web.
Tecnologias Geoespaciais

para o Setor Elétrico

O setor elétrico brasileiro é amplo, composto pelo conjunto de atividades em Geração, Transmissão, Distribuição e Comercialização de Energia Elétrica. Trata-se de um conjunto de atividades dinâmica e em constante transformação que buscam, por um lado responder às demandas do país quanto ao atendimento energético e de outro atingir aos quatro cantos de um país de dimensões continentais de forma eficaz e com qualidade.

A dinâmica de planejar, projetar, construir, operar e manter os ativos do setor, exige muito empenho de diversos profissionais que buscam constantemente informações e dados de campo que os apoiem em suas decisões técnicas.

Justamente na facilitação desta dinâmica que as geotecnologias são aplicadas e geram soluções eficientes que apoiam importantes processos de melhorias do setor.

Em termos práticos, é possível obter através das soluções Geoespaciais um mapeamento preciso das instalações de energia, contemplando dados demográficos, geográficos, topográficos e de infraestrutura, que auxiliam o diagnóstico de problemas, tomada de decisões, planejamento, desenvolvimento, ação e medição dos resultados.

Conheça a seguir as nossas soluções voltadas para atendimento das demandas do setor elétrico brasileiro.

Usina Hidrelétrica

As usinas hidrelétricas são responsáveis pela maior parte da geração de energia elétrica no Brasil, sendo fonte de energia renovável e não poluente.  A implantação de geotecnologias no mapeamento das atividades hidrelétricas, oferecem aos gestores de usinas hidrelétricas informações precisas, atualizadas e de fácil interpretação, que auxiliam sua administração e tomada de decisões.

Monitoramento de Ativos:

Somos pioneiros na aplicação comercial de Interferometria de Radar de Abertura Sintética (SAR) para o Monitoramento da Movimentação da Superfície (SMM), sendo uma tecnologia que permite a medição precisa das alterações de elevação em superfície de terrenos, identificando movimentos a partir de 2mm, sendo eficaz no controle das movimentações das estruturas de barragens e represas no Brasil.

Essa metodologia permite a aquisição de imagens, mesmo sob mau tempo ou em áreas frequentemente cobertas por nuvens, pois o sensor SAR é capaz de atravessar a camada de nuvens realizando o imageamento regular e frequente, sensível à pequenas mudanças na elevação da superfície planetária.

Realizamos no complexo hidrelétrico de BELO MONTE – NORTE ENERGIA S.A. o Monitoramento da Movimentação da Superfície (SMM), utilizando dados de Satélite realizamos o monitoramento de 164 Km2 de área, sendo 3.772 Km2 de dados processados pela técnica de interferometria aplicada. O resultado consistiu na informação detalhada de movimentação da superfície com mais de 162.000 pontos de medição.

Em FURNAS realizamos o monitoramento sistemático das bordas dos reservatórios objetivando gerar alertas sobre invasões ou ocupações irregulares, bem como concebemos dinâmicas temporais de ocupação de áreas objetivando suportar demandas judiciais e gestão agrária das terras de propriedade ou concedidas a empresa.

Suas vantagens:

  • Monitoramento do uso e ocupação das áreas referente as bordas dos reservatórios;
  • Geração de alertas diários em relação a invasão de áreas pertencentes a DUP;
  • Geração de dados para apoio as atividades relativas ao licenciamento socioambiental;
  • Monitoramento Interferométrico para detecção movimentação da superfície e, consequente, estabilidade geotécnica do terreno, possibilitando a identificação de movimentos a partir de 2mm;
  • Concepção da dinâmica histórica do uso e ocupação da área de interesse;
  • Estimativa do risco referente a infraestrutura em relação a deslizamentos de terras e queda de barreiras; ​
  • Possibilidade de resultados em curto prazo em áreas com vegetação rasteira ou pouco vegetadas.;

 

Como funciona:

O Sensor SAR é capaz de atravessar as camadas de nuvens captando as imagens de forma regular e frequente, sensível as pequenas alterações, a partir da análise da diferença de fases dos dados coletados pelo sensor.

A medição pode ser realizada tanto em movimentos verticais quanto horizontais, entretanto, para obter a componente horizontal da movimentação é necessário um recobrimento com órbita ascendente e descendente.

Conforme imagens a seguir:

 

A técnica consiste em uma comparação de pixels em um conjunto de imagens adquiridas em datas diferentes, onde o movimento do pixel dentro desse período é mensurado.

A direção da movimentação se dá ao longo da linha de visão do satélite e é percebida conforme se altera a distância entre o sensor e o ponto na superfície do terreno.

<strong>Figura:</strong> Movimentos Verticais da Superfície Campos de Petróleo de Oman - “Persistent Scatterer Analysis” TerraSAR-X, aquisições entre 27/01/2008 e 14/05/2009

Figura: Movimentos Verticais da Superfície Campos de Petróleo de Oman – “Persistent Scatterer Analysis” TerraSAR-X, aquisições entre 27/01/2008 e 14/05/2009

 

Os pixels são criteriosamente selecionados para a mensuração da movimentação a fim de assegurar a acurácia dos resultados, para realizar a análise são retirados os pixels correspondentes as áreas de florestamento e construções, as imagens a seguir ilustram o ambiente de captação das imagens.

Figura: Séries Temporais Interferométricas e disponibilidade de refletores

 

resultante dos movimentos

 

A finalização do processo inicia a partir da criação dos relatório e laudos técnicos com a análise precisa sobre as Medições de Movimentação de Terreno em alta resolução espacial. As informações obtidas além de alimentar o ambiente WEBGIS para gerenciamento dos dados georreferenciados, são eficazes no monitoramento da segurança de todos os tipos de barragens (hídrica e rejeitos).

As imagens a seguir ilustram os dados obtidos em Monitoramento de Barragens.

 

Barragem de Brumadinho, MG – Input: 28 cenas TerraSAR-X StripMap, adquiridas no período de Fev/2018 – Jan/2019 Imagem de fundo: imagem Pléiades adquirida em Jan 18, 2019


Rompimento de Barragem – Incidente na África do Sul, 1994

Sistemas de Informações Geográficas (SIG)

O Sistema de Informações Geográficas (SIG) é uma plataforma capaz de armazenar, analisar e processar dados georreferenciados. É utilizado para promover estudos geográficos, análises das variáveis ambientais, auxiliar na prevenção de desastres naturais, além de monitorar a atividade humana.

Somos especialistas na implantação de SIG, oferecemos   serviços e suporte técnicos especializados no desenvolvimento do sistema, manutenção, sustentação e uso eficiente do ambiente de geoprocessamento.

No setor elétrico desenvolvemos o Sistema de Informação Geográficos (SIG) da ANEEL e o Sistema de Informações Georreferenciadas do Setor Elétrico – SIGEL.  Entre as atividades do projeto, realizamos o desenvolvimento, alimentação e implementação do sistema, incluindo:  análise, inserção e manutenção das bases cartográficas e georreferenciadas, processamento de imagens de satélites, conversão de arquivos georreferenciados, criação de procedimentos operacionais para utilização do sistema, dentre outros processos para garantir o sucesso na implantação do sistema.

Como funciona: 

A nossa plataforma web e mobile oferece dados geoestatísticos, mapas, consolidação de dados, Big Data, de uma forma prática e acessível para os nossos clientes. Atualmente as nossas plataforma estão em uso em grandes empresas como: IBAMA, Min. Meio Ambiente, ANATEL, entre outras.

A seguir imagens ilustrativas do Sistema Web e Mobile sob o paradigma GIS.

 

O acompanhamento Geoespacial tem o objetivo de apoiar o processo de fiscalização de obras, facilitando o monitoramento por meio da captura de imagens de satélite, desde o seu início até a sua conclusão, reduzindo a necessidade de deslocamentos até o local das obras.

Temos também em nosso portifólio as soluções “STACK INSIGHT” e “CHANGE DETECTION” desenvolvidas pela AIRBUS Defense & Space, que são utilizadas para o monitoramento de solos em frequentes alterações, e podem ser aplicadas ao monitoramento de construções e obras de Usinas Hidrelétricas.

Essas tecnologias possibilitam a obtenção de relatórios diários de alta precisão, capaz de identificar as menores movimentações do solo, indicando instabilidades e riscos que possam comprometer a evolução do empreendimento ou a sua segurança bem como seu desenvolvimento estrutural.

São itens que podem ser monitorados pelas soluções “Stack Insight” e “Change Detection”:

  • Estabilidade de taludes
  • Detecção de soerguimentos e recalque
  • Deslocamentos e movimentação do solo

Cabe ressaltar que, esse é o método mais eficiente para análise de movimentação de solo, sendo superior a qualquer outra metodologia para análises topográficas.

Suas vantagens:

  • Imagens de satélites;
  • Fiscalização remota das atividades das obras;
  • Relatórios diários com detecção de alterações;
  • Relatórios em formatos variados para melhor análise dos dados (JPEG, Excel, Vetores KMZ)
  • Relatórios com mudanças volumétricas;
  • Maior economia, uma vez que reduz a necessidade de deslocamento até o local das obras;

Como funciona:

O acompanhamento geoespacial de obras inicia a partir da captação das imagens de satélites de alta resolução espacial, elas são criteriosamente selecionadas para a análise de detecção de mudanças e apontar o estágio e a evolução das construções.  Obtido esses dados são emitidos os relatórios que podem ser comparados ao cronograma pré-definido, monitorar os eventos e antecipar-se a possíveis paralizações, promover a elaboração de uma representação cartográfica que auxilie no gerenciamento das obras.

Além da evolução das obras e acompanhamento do cronograma com o apoio de dados georreferenciados e possível monitorar a segurança do empreendimento, por meio das soluções “Stack Insight” e “Change Detection”:

  • Estabilidade de taludes

Parque Eólico

Nos últimos anos a energia renovável vem expandindo de forma significativa no Brasil, principalmente pelo incentivo de programas do governo para ampliação de fontes alternativas de energia elétrica. Neste sentido, a energia eólica tem ocupado papel de destaque na matriz energética, e as técnicas de geoprocessamento contribuem para os estudos de viabilidade de projetos de parques eólicos.

Identificação Geográfica de Áreas:

As Imagens de satélites são importantes insumos para compor a análise ambiental e estudos de viabilidade na implantação de parques eólicos, podendo identificar as melhores áreas geográficas para o empreendimento.

Sistema de Informações Geográficas (SIG):

O Sistema de Informações Geográficas (SIG) é uma plataforma capaz de armazenar, analisar e processar dados georreferenciados. É utilizado para promover estudos geográficos, análises das variáveis ambientais, auxiliar na prevenção de desastres naturais, além de monitorar a atividade humana.

No contexto dos Parques Eólicos, a solução auxilia no processo de planejamento, desenvolvimento, operação e exploração da infraestrutura.

A nossa plataforma web e mobile oferece dados geoestatísticos, mapas, consolidação de dados, Big Data, de uma forma prática e acessível para os nossos clientes.

A seguir imagens ilustrativas do Sistema Web e Mobile sob o paradigma GIS.

Acompanhamento Geoespacial de Obras:

O acompanhamento Geoespacial tem o objetivo de evoluir o processo de fiscalização de obras, facilitando o monitoramento por meio da captura de imagens de satélite.

Na construção das Bases de Aerogeradores de parques eólicos, utilizamos as soluções “STACK INSIGHT” e “CHANGE DETECTION” desenvolvidas pela AIRBUS Defense & Space, para o monitoramento de solos que estão sob frequentes alterações.

Através dessas soluções é possível obter relatórios diários e de alta precisão, capaz de identificar as menores movimentações do solo que possam comprometer a evolução do empreendimento ou a sua segurança, destacando:

  • Estabilidade de taludes
  • Detecção de soerguimentos e recalque
  • Alertas de deslocamentos para prevenção de acidentes

Cabe ressaltar que, esse é o método mais eficiente para análise de movimentação de solo, sendo superior a qualquer outra forma de análise topográfica.

Suas vantagens:

  • Imagens de satélites;
  • Fiscalização remota das atividades das obras;
  • Relatórios diários com detecção de alterações;
  • Relatórios em formatos variados para melhor análise dos dados (JPEG, Excel, Vetores KMZ)
  • Relatórios com mudanças volumétricas;
  • Maior economia, uma vez que reduz a necessidade de deslocamento até o local das obras;

Como funciona:

O acompanhamento geoespacial de obras inicia a partir da captação das imagens de satélites de alta resolução espacial, elas são criteriosamente selecionadas para a análise de detecção de mudanças e apontar o estágio e a evolução das construções.  Obtido esses dados são emitidos os relatórios que podem ser comparados ao cronograma pré-definido, monitorar os eventos e antecipar-se a possíveis paralizações, promover a elaboração de uma representação cartográfica que auxilie no gerenciamento das obras.

Além da evolução das obras e acompanhamento do cronograma com o apoio de dados georreferenciados e possível monitorar a segurança do empreendimento, por meio das soluções “Stack Insight” e “Change Detection”:

  • Estabilidade de taludes e solo durante a construção de parques eólicos

Energia Solar Fotovoltaica

No Brasil, é crescente o interesse pela diversificação das fontes geradoras de energia elétrica e uma opção cada vez mais atraente é a energia solar fotovoltaica, relacionado aos seus benefícios ambientais.

As técnicas de geoprocessamento contribuem para os estudos de projetos de implantação dos Parques Solares Fotovoltaico, levando em consideração que a energia é potencializada dependendo da área geográfica de exposição dos painéis solares.

Sistema de Informações Geográficas (SIG):

O Sistema de Informações Geográficas (SIG) é a plataforma capaz de armazenar, analisar e processar dados georreferenciados. É utilizado para promover estudos geográficos, análises das variáveis ambientais, auxiliar na prevenção de desastres naturais, além de monitorar a atividade humana.

Na construção de parques solares, utilizamos o SIG para integrar dados geográficos pertinentes aos estudos de avaliação ambiental e mapeamento para a exploração do terreno, considerando: planicidade, distância da subestação distribuidora de energia, análise de vegetação ou urbanização do entorno.

A nossa plataforma web e mobile oferece dados geoestatísticos, mapas, consolidação de dados, Big Data, de uma forma prática e acessível para os nossos clientes.

Segue abaixo imagens ilustrativas do Sistema web e Mobile sob o paradigma GIS.

Linhas de Transmissão

No Brasil são mais de 160.000 km de linhas de transmissão de energia, onde a maior parte está localizada distante de centros urbanos, dificultando o controle, acesso e manutenção.

Para manter a confiabilidade do sistema elétrico e a qualidade no atendimento do mercado de energia, as linhas de transmissão estão frequentemente sujeitas a fiscalização da agência reguladora quanto à sua integridade bem como aspectos de limpeza e supressão de vegetação ao longo das faixas de servidão

Dentro do geoprocessamento temos variedades de soluções que além de apoiar as transmissoras no atendimento das normas podem auxiliar na otimização de suas atividades, sendo:

  • Suporte técnico em relação a estudos de viabilidade técnica de implantação de novas Linhas;
  • Concepção da dinâmica histórica do uso e ocupação da área de interesse;
  • Geração de dados para apoio as atividades relativas ao licenciamento socioambiental;
  • Monitoramento Interferométrico para detecção movimentação da superfície e estabilidade geotécnica do terreno, possibilitando a identificação de movimentos a partir de 2mm;
  • Concepção da dinâmica histórica do uso e ocupação da área de interesse;
  • Estimativa do risco referente a infraestrutura em relação a deslizamentos de terras ou comprometimento das torres de transmissão. ​

Monitoramento da Faixa de Servidão:

Monitorar as faixas de servidão tem por objetivo garantir temas como: Segurança relacionados a ocupação irregular, Proteção monitorando o comportamento da vegetação local e prevenindo que o seu crescimento atinja e comprometa às linhas de transmissão, Estrutural visualizando possíveis pontos de erosão que possa prejudicar a integridade das torres, etc. Além disso o monitoramento das faixas de servidão por imagens de satélite possibilita mapear as áreas suscetíveis e identificar a necessidade de manutenção nas linhas.

Realizamos o monitoramento das aéreas da NORTE ENERGIA S.A. e da FUNAI para atendimento do Plano de Fiscalização e Vigilância de Terras Indígenas, o objetivo do projeto é monitorar a área de interesse a fim de identificar e reportar locais de possível esgotamento florestal, identificando o corte raso, corte seletivo, novas infraestruturas e novas estradas. Para a construção dos relatórios do projeto de monitoramento foram utilizadas imagens de satélite, bases cartográficas e temáticas georreferenciadas, manutenção e alimentação de bancos e dados espacial.

A seguir alguns exemplos de imagens que compõe o monitoramento da Faixa de Servidão.

Sistema de Informações Geográficas (SIG):

Somos especialistas em Sistemas de Informações Geográficas (SIG), oferecemos   serviços e suporte técnicos especializados no desenvolvimento do sistema, manutenção, sustentação e uso eficiente do ambiente de geoprocessamento.

Atuamos no desenvolvimento do Sistema de Informação Geográficos (SIG) da ANEEL e no Sistema de Informações Georreferenciadas do Setor Elétrico – SIGEL.  Entre as atividades do projeto, foi realizado o desenvolvimento, alimentação e implementação do sistema, incluindo:  análise, inserção e manutenção das bases cartográficas e georreferenciadas, processamento de imagens de satélites, conversão de arquivos georreferenciados, criação de procedimentos operacionais para utilização dos sistema, dentre outros processos para garantir o sucesso na implantação do sistema.

Em FURNAS, realizamos o desenvolvimento, modelagem e mapeamento de informações geográficas para alimentação do Banco de Dados Geoespacial, dentre as atividades do projeto: Processamento de imagens de satélite de média e alta resolução, download das imagens, geração de mosaico, conversão de formatos, conversão entre sistemas coordenadas,  digitalização e georreferenciamento de cartas, aquisição, avaliação e processamento de dados de focos de calor, criação de polígonos de áreas de interesse em Linhas de Transmissão e Reservatórios, análise de consistência de dados vetoriais, validação do produto gerado por especialista em interpretação de imagens, entre outras atividades para garantir o sucesso do projeto.

A nossa plataforma web e mobile oferece dados geoestatísticos, mapas, consolidação de dados, Big Data, de uma forma prática e acessível para os nossos clientes.

A seguir imagens ilustrativas do Sistema web e Mobile sob o paradigma GIS.

Geolocalização de Ativos:

Visando concentrar as informações com os dados das Linhas de Transmissão instaladas no Brasil, a agência reguladora de energia ANEEL estabeleceu a RESOLUÇÃO NORMATIVA 861/19.

A norma que trata da criação da Base de Dados de Instalações de Transmissão (BDIT), onde serão concentradas as principais informações dos ativos vinculados ao serviço público de transmissão de energia elétrica, estabelece que as empresas de Transmissão de Energia devem utilizar as soluções em Sensoriamento Remoto, visto que os critérios técnicos estabelecidos para geolocalização dos ativos são de alta precisão.

O nosso atendimento para RN 861/19 é baseado nos serviços de Sensoriamento Remoto por Imagens de Satélite, apoiado em dados adquiridos em campo objetivando a geração de dados geográficos, identificando os centroides correspondentes as torres de transmissão de energia elétrica, o comprimento dos vãos entre as torres e os polígonos referentes as subestações das respectivas linhas de transmissão.

Em campo são coletados os pontos de controle apoiado pelo rastreamento de GPS, que permite a obtenção dos dados cartográficos com a precisão Planimétrica ≤ 1m, e Altimétrica ≤3m.

Na nossa solução, pares estereoscópicos passam pela orientação relativa, onde são relacionadas as imagens de cada par entre si e entre os pares adjacentes de forma a consolidar um bloco de imageamento. Os blocos passam então pela orientação absoluta onde suas coordenadas em pontos de controle específicos são correspondidas com as coordenadas obtidas em campo através do levantamento com GPS. Os dados do piquete central das torres e das subestações são então gerados a partir da restituição fotogramétrica. O vão entre as linhas se dá através da ligação entre os piquetes centrais. Outros produtos cartográficos obtidos através dessa técnica são o modelo digital da superfície (MDS), o modelo digital do terreno (MDT) e a autoimagem.

Os principais benefícios dessa metodologia são: As imagens podem ser obtidas previamente mediante coleta especulativa integrando o acervo da AIRBUS Defense & Space, possibilitando que os projetos tenham garantia de execução dentro dos prazos estabelecidos pela RN 861/19. A técnica também permite que ativos em áreas de difícil acesso sejam mapeadas com a precisão exigida pela resolução.

Como é feito:

Aquisição de Imagens

Aerotriangulação

qodef-fullwidth-slider
Case em Destaque: Furnas

Monitoramento para o Setor Hidrelétrico

O Sistema de monitoramento desenvolvido para Furnas permitiu o acompanhamento das alterações detectadas nas faixas de servidão de Linhas de Transmissão e nas áreas de DUP dos Reservatórios Hidrelétricos.

Saiba mais sobre a HEX com nossos consultores. Entre em contato agora mesmo.

; })(jQuery)